domingo, 29 de junho de 2008

PARA REFLETIR

ESCOLA DA VIDA

Conta-se que vários bichos decidiram fundar uma escola. Para isso reuniram-se e começaram a escolher as disciplinas. O Pássaro insistiu para que houvesse aulas de vôo. O Esquilo achou que a subida perpendicular em árvores era fundamental. E o Coelho queria de qualquer jeito que a corrida fosse incluída.
E assim foi feito, incluíram tudo, mas... Cometeram um grande erro. Insistiram para que todos os bichos praticassem todos os cursos oferecidos. O Coelho foi magnífico na corrida, ninguém corria como ele.
Mas queriam ensiná-lo a voar. Colocaram-no numa árvore e disseram: "Voa Coelho". Ele saltou lá de cima e "pluft"... Coitadinho! Quebrou as pernas. O Coelho não aprendeu a voar e acabou sem poder correr também.
O Pássaro voava como nenhum outro, mas o obrigaram a cavar buracos como uma toupeira. Quebrou o bico e as asas, e depois não conseguia voar tão bem, e nem mais cavar buracos
SABE DE UMA COISA?
Todos nós somos diferentes uns dos outros e cada um tem uma ou mais qualidades próprias. Não podemos exigir ou forçar para que as outras pessoas sejam parecidas conosco ou tenham nossas qualidades.
Se assim agirmos, acabaremos fazendo com que elas sofram, e no final, elas poderão não ser o que queríamos que fossem e ainda pior, elas poderão não mais fazer o que faziam bem feitos.


RESPEITAR AS DIFERENÇAS É AMAR AS PESSOAS COMO ELAS SÃO!

sábado, 28 de junho de 2008

O MENINO QUE QUERIA SER TELEVISÃO

“Senhor, faça de mim um aparelho de televisão, para que meus pais me tratem como tratam o televisor” Para que olhem para mim com o mesmo interesse que olham a tela de TV, especialmente quando minha mãe assiste “a novela favorita e ao meu pai o esporte predileto.
Eu quero falar como aqueles homens, pois quando eles falam toda a família fica em silêncio para ouvir bem o que eles têm a dizer. Eu gostaria de ver a mamãe se admirar de mim, como ela se admira quando vê a última moda na tela. Eu gostaria que meu pai risse comigo, como ele faz quando os artistas contam piadas.
Eu gostaria que meus pais me dessem atenção quanto ao televisor. Quando este não funciona, imediatamente chamam um técnico para consertá-lo.
Eu gostaria de ser um televisor e assim a melhor amiga e a mais importante para meus pais.
Oh! “Pai do Céu, se tu me transformasses num televisor, eu poderia ser feliz”



sexta-feira, 27 de junho de 2008

Poesia

O balão

Com o coração
ardendo,
vai se elevando,
sereno,
um balão colorido.
Atrás de si deixa
um rastro.
Depois,
já mudado
em astro,
eu o dou
por perdido.
Foi conversar
com estrelas,
foi bater papo
com a Lua.
Esse balão que flutua,
ainda,
no meu verso,
deve agora estar
valsando
nos salões
do Universo.

Hardy Guedes

sábado, 21 de junho de 2008

As Meninas

Arabela
abria a janela.

Carolina
erguia a cortina.

E Maria
olhava e sorria:
"Bom dia!"

Arabela
foi sempre a mais bela.

Carolina,
a mais sábia menina.

E Maria
apenas sorria:
"Bom dia!"

Pensaremos em cada menina
que vivia naquela janela;

uma que se chamava Arabela,

uma que se chamou Carolina.

Mas a profunda saudade
é Maria, Maria, Maria,

que dizia com voz de amizade:
"Bom dia!"


Cecília Meireles



terça-feira, 17 de junho de 2008

PARA PENSAR

POR QUE AS PESSOAS GRITAM ?

Um dia um certo mestre perguntou aos seus discípulos o seguinte:- Porque as pessoas gritam quando estão aborrecidas?Os homens pensaram por alguns momentos: Porque perdemos a calma, disse um deles - por isso gritamos.Mas, porque gritar quando a outra pessoa está ao teu lado? - perguntou o mestre - Não é possível falar-lhe em voz baixa?
Porque gritas a uma pessoa quando estás aborrecido?Os homens deram algumas respostas, mas nenhuma delas satisfazia ao mestre.Finalmente ele explicou: Quando duas pessoas estão aborrecidas, seus corações se afastam muito.
Para cobrir esta distância precisam gritar para poder escutar-se.Quanto mais aborrecidas estejam, mais forte terão que gritar para escutar-se um ao outro através desta grande distância.Em seguida o mestre perguntou: O que sucede quando duas pessoas se enamoram?
Elas não se gritam, mas sim se falam suavemente, porque?
Seus corações estão muito perto.A distância entre elas é pequena, o mestre continuou.Quando se enamoram acontece mais alguma coisa?Não falam, somente sussurram e ficam mais perto ainda de seu amor.Finalmente não necessitam sequer sussurrar, somente se olham e isto é tudo.Assim é quando duas pessoas que se amam estão próximas.
Então o mestre disse: QUANDO DISCUTIREM, NÃO DEIXEM QUE SEUS CORAÇÕES SE AFASTEM, NÃO DIGAM PALAVRAS QUE OS DISTANCIEM MAIS, CHEGARÁ UM DIA EM QUE ADISTÂNCIA SERÁ TANTA QUE NÃO MAIS ENCONTRARÃO O CAMINHO DE VOLTA.

domingo, 15 de junho de 2008

TRABALHANDO COM POESIA...

Ou Isto Ou Aquilo
.
Ou se tem chuva e não se tem sol
ou se tem sol e não se tem chuva!

Ou se calça a luva e não se põe o anel,
ou se põe o anel e não se calça a luva!

Quem sobe nos ares não fica no chão,
quem fica no chão não sobe nos ares.

É uma grande pena que não se possa
estar ao mesmo tempo nos dois lugares!

Ou guardo o dinheiro e não compro o doce,
ou compro o doce e gasto o dinheiro.

Ou isto ou aquilo: ou isto ou aquilo...
e vivo escolhendo o dia inteiro!

Não sei se brinco, não sei se estudo,
se saio correndo ou fico tranqüilo.

Mas não consegui entender ainda
qual é melhor: se é isto ou aquilo.


Cecília Meireles

1-Atividades: Ler, refletir sobre a Poesia, ilustrar e criar mais estrofes onde o aluno faça suas escolhas.
Atenção, deixe os alunos livre para criar, sempre....

sábado, 14 de junho de 2008

LOBOS DO MAR....

Vela branca
na enxurrada
lá vou eu
de léu a léu.
Se o navio
é pequenino
do tamanho
de um chapéu
_não importa__
a volta ao mundo
é viagem
de brinquedo
para grande
comandante
de um barquinho
de papel.
Elza Beatriz (Cadernos de Guardados)


ATIVIDADE
Fazer a dobradura de um BARCO,e depois propor para os alunos que continue a poesia, agora eles sendo o comandante do barco.
Depois montar em folha chamex a poesia dele, da forma que quiserem.







quarta-feira, 11 de junho de 2008

POR SANTO ANTONIO E O CASAMENTEIRO

LENDAS

O povo festeja Santo António como o Santo Casamenteiro.

A lenda tem origem na generosidade com que o frade presenteava as jovens sem dote para que se pudessem casar. Daqui resultaram diversas outras lendas.

A mais conhecida reza que uma rapariga, farta de rezar e esperar que o santo ouvisse as suas preces, atirou a sua imagem pela janela fora. A estatueta bateu na cabeça de um rico homem, que logo se apaixonou e casou com ela.
A partir deste momento, o Santo Casamenteiro não teve mais descanso a atender os pedidos que lhe são dirigidos.

Santo António é também, talvez devido aos seus dotes de oratória, o advogado das causas perdidas e o que nos ajuda a encontrar objectos perdidos de grande valor.

QUADRINHA


João amava Teresa que amava Raimundo
que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili
que não amava ninguém.
João foi para os Estados Unidos, Teresa para o convento,
Raimundo morreu de desastre, Maria ficou para tia,
Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto Fernandes
que não tinha entrado na história.


ORIGEM DO DIA DOS NAMORADOS....

A origem da comemoração do Dia dos Namorados no Brasil, em 12 de junho, não é certa. Acredita-se que foi estipulada por ser véspera do dia de Santo Antônio, o santo casamenteiro. A crença de que o santo ajudava as solteiras a encontrarem um namorado foi difundida a partir do século XVIII.

Esta comemoração pode ter se iniciado em 1948 em uma promoção feita pelas Lojas Clipper, em São Paulo. Alguns afirmam que começou mesmo em 1950, com a idéia do publicitário João Dória que criou uma campanha publicitária parecida com o “Valentine’s Day” dos Estados Unidos. O slogan publicitário era: “não é só com beijos que se prova o amor”.

Tradicionalmente, este dia é comemorado em 14 de fevereiro em vários países (Valentine´s Day - Dia de São Valentim). Esta data remonta aos tempos de Roma (antes do Cristianismo) com a festa pagã chamada Lupercália, comemorada no dia 15 de fevereiro, onde os jovens retiravam da “urna do amor” os nomes das suas futuras pretendentes. Com o término da Era do Império Romano, o costume continuou.